Nota em repúdio à prisão do ex-Presidente Lula

Presidente Lula nos braços da multidão momentos antes de sua prisão

São Bernado do Campo SP 07/04/2018 O ex presidente Luiz Inacio Lula da Silva no braço do povo depois da missa e discursos em frente ao sindicato dos metalúrgicos no ABC FotoFilipe Araujo /Fotos Publicas

A prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, feita ao arrepio da Constituição Federal, representa agressão à democracia brasileira e aos tratados internacionais de direitos humanos, os quais consagram, como fundamentos dos regimes democráticos, os princípios da soberania popular, da presunção da inocência e do devido processo legal.

A origem das modernas democracias assenta-se justamente nesses princípios básicos, que têm no habeas corpus sua manifestação mais significativa. Assim sendo, a prisão d

e ex-presidente pode ser interpretada como uma decisão casuística, politicamente motivada, que cria insuportável insegurança jurídica no Brasil.

O encarceramento apressado e injustificado do ex-presidente Lula, contra o qual não há uma única prova minimamente sólida de culpa, agrava sobremaneira o perigoso e crescente clima de ódio e de instabilidade política que tomou conta do país. A decisão, destituída de fundamentos jurídicos sólidos, configura ato de perseguição política, que tende a aprofundar a gravíssima crise econômica, social e política do Brasil.

A injusta cassação política-jurídica do líder nas pesquisas de intenção de voto, significa aposta irresponsável no quadro de caos e incerteza que prejudica toda a população brasileira. Confiamos, contudo, que as forças democráticas, dentro e fora das instituições, saberão reverter esse funesta decisão e libertar Lula.

O que fazem hoje com o Lula poderão fazer com qualquer pessoa amanhã. Respeitar a Constituição é respeitar a democracia

Gleisi Hoffmann
Presidenta nacional do PT

Carlos Lupi
Presidente nacional do PDT

Juliano Medeiros
Presidente nacional do PSOL

Luciana Santos
Presidenta nacional do PCdoB

Executiva aprova plano de ação da FLB-AP da Capital 

Diretório da Capital aprova Plano de Ação para a FLB-AP em São Paulo

Por Vinicius Costa Martins

Com o objetivo de estruturar os trabalhos da Fundação Leonel Brizola – Alberto Pasqualini na cidade de São Paulo para os próximos anos, a Executiva do Diretório Municipal do Partido Democrático Trabalhista da Capital (PDT-SP) aprovou nesta quinta-feira (12) as propostas de ação dos seus grupos de trabalho.

Ao todo, foram organizados seis grupos de atuação que dirigirão os planos da Fundação para os próximos anos, o que, segundo o Secretário Geral do Partido em São Paulo, Alessandro Rodrigues, tem demonstrado uma renovação dentro das instâncias do PDT na maior capital do país. O pensamento foi acompanhado pelo Presidente do PDT-SP, Antonio Neto, que dirigiu a mesa da Reunião da Executiva Municipal, e reenfatizou o papel da formação política como grande horizonte a ser seguido pelo Partido, tendo como norte imediato a formação de 1000 Núcelos de Base na cidade.

O plano tático da Fundação reúne desde Aulões do ENEM, programas de capacitação profissional, seminários de formação política voltados para militantes, assessores, candidatos e servidores, até um cronograma de entrevistas para o “Mais Opinião” e um novo Observatório da Cidade, o que, para Yuri Ferro, coordenador da FLB-AP em São Paulo e membro da Executiva Municipal, responsabiliza a militância e faz sobressair a “ética, a responsabilidade e o compromisso militante em todas as áreas de atuação que Ciro Gomes traz em sua luta pela reconstrução pela Soberania Nacional.”

Também presentes na reunião, o ex-deputado estadual Luiz Mourão, o ex-vice-presidente do Corinthians, André Negão e o presidente do Movimento Comunitário Trabalhista (MCT), Jordaci Matos, reconheceram a importância da formação dos núcleos de base para o crescimento qualitativo do partido na capital. Para Jordaci, “é imprescindível que a militância se consolide nas estruturas de organização dos bairros espalhadas pela capital.”

Os grupos foram organizados da seguinte maneira:

Capacitação e Educação. Sob condução do educador mestrando pela USP, Jean Ordéas, o grupo dará início ao projeto de curso preparatório para o ENEM e terá como foco os estudantes da rede pública de ensino do município. A iniciativa pretende auxiliar os alunos a partir da presença física (com aulões) e digital (aplicativo). Estipulou-se como meta imediata organizar pelo menos dois grandes aulões nas regiões norte e sul da cidade de São Paulo até o mês de agosto.

Núcleos de Base. Seguindo o ideal de que um partido cresce em movimento e retomando o famoso Grupo dos Onze de Brizola, o grupo terá como principal objetivo semear a criação de espaços de atuação militante por todas as regiões da cidade de São Paulo. A coordenação geral será feita por Renata Vieira, advogada com experiência consolidada na formação de núcleos de base no município e Alexandre Aníbal.*

Formação Política. Com a proposta de discutir e atualizar o trabalhismo para a atual conjuntura de constantes transformações no mundo do trabalho, o grupo de formação política, sob a batuta de Paulo Ricardo Barbosa, terá como foco debater e aproximar (por isso dentro e fora do âmbito partidário) a sociedade de quais são os rumos da ideologia central do PDT: o trabalhismo. Para isso, serão organizados espaços de debate (seminários, palestras e aulas) que busquem fomentar o exercício crítico sobre o tema no seio da população paulistana.

+ Opinião. Sucesso nas redes sociais, o programa de debates online da FLB-AP irá completar seu primeiro ano em maio e terá suas edições também em São Paulo. Sob a coordenação do cineasta Lucas Costa, serão entrevistados grandes nomes que pensam a realidade brasileira como Nelson Marconi, Bresser Pereira, Jessé de Souza, Renato Janine Ribeiro, Mangabeira Unger, Aldo Fornazieri, Alessandro Octaviani, Paulo Henrique Amorim, entre outros.

Mulheres. Com o propósito de organizar um eixo acadêmico e de conscientização acerca da questão da mulher, o grupo atuará como catalizador do debate feminino nos grupos de base que serão organizados a partir dos trabalhos da Fundação, o que ficará sob a coordenação da advogada Carolina Libonatti e Ana Paula . Dentro desse escopo, haverá também um trabalho específico sobre o crescimento do papel da mulher no mundo do trabalho e seus desafios, que será coordenado pela cientista política Marina Molina.

Observatório da Cidade. O projeto, coordenado pelo pesquisador Orlando Rafael Prado, tem como intuito levantar e analisar dados sobre a realidade específica da cidade de São Paulo para a estruturação de políticas públicas. Com direcionamento semelhante, a Fundação contará também com o Ciro Lab, iniciativa que pretende mapear e analisar dados referentes aos 12 Pontos do programa de Ciro Gomes, projeto que será coordenado por Marina Molina.

*No dia 24 de abril será realizada a primeira reunião para a estruturação dos trabalhos dos Núcleos de Base no Diretório do PDT-SP da capital, com o convocação de todo o diretório e principalmente suas coordenadorias regionais.

PDT DA CAPITAL ELEGE DIRETÓRIO

Convenção realizada na manhã deste sábado (17) elegeu a Chapa Unidade Trabalhista para consolidar e fortalecer o partido na capital paulista

 

Na manhã deste sábado (17), o Diretório Municipal do Partido Democrático Trabalhista (PDT) foi eleito na Convenção Municipal do partido. Com a presença de centenas de militantes de todo o estado de São Paulo, a Chapa Unidade Trabalhista foi aclamada por dirigentes, trabalhadores e representantes do PDT para consolidar e fortalecer o partido e levar à capital paulista os ideais do trabalhismo e de Leonel Brizola.

O presidente do Diretório Municipal, Antonio Neto, disse que a Chapa Unidade Trabalhista foi construída a partir de uma organização muito sensata. “Com muita responsabilidade e com muito orgulho, assumo o Diretório Municipal para construir o partido na cidade”, afirmou Neto. Segundo ele, é necessário organizar o PDT para dar as respostas que a sociedade precisa.

“Temos o desafio da Fundação Leonel Brizola para criar o núcleo de base e formação política, para formar dirigentes com o objetivo de fazer o enfrentamento político e ideológico”, completou o presidente Neto.

A Chapa Unidade Trabalhista é composta por 150 dirigentes, representando 40 zonas eleitorais. Já foram organizadas 10 coordenadorias regionais, que terão como meta organizar o partido na capital para consolidar 32 diretórios zonais.

As lideranças municipais e estaduais presentes ratificaram o discurso de unidade de Antonio Neto. Luiz Moura, membro da Executiva Estadual e Municipal, e candidato a deputado estadual, afirma que o desafio do partido é construir um novo PDT na capital. “Estamos chegando esse ano a 9 milhões de eleitores, maior que muitos países na América do Sul. O time tem que estar preparado. Demos o primeiro passo na Zona Leste”, declarou Moura, destacando que está disposto a “colaborar com esse novo processo de construção”, colocar-se à disposição do partido e da Executiva.

União

Luiz Antônio Medeiros, vice-presidente do Diretório Estadual, destacou os efeitos da reforma trabalhista na vida do povo. Segundo o dirigente, “é o momento em que começarmos a reagir, que as pessoas começam a se organizar”. “Nós temos o melhor candidato a presidente da República. Nós temos força. Vamos para cima com mobilização, e o PDT é nossa grande arma”, emendou Medeiros.

Na análise de Ana Paula Silva Sanches, o PDT é um partido aberto às mulheres. “Temos que chegar perto das pessoas que precisam de ajuda. Venho participar para que avanços sejam feitos para as mulheres. Estamos cada vez mais perto das pessoas que querem falar e querem ser ouvidas. Precisamos nos unir e mobilizar, ser ouvidas e nos escutar também”, enfatizou a representante da Juventude do PDT municipal de São Paulo.

O pré-candidato a deputado federal Aires Ribeiro destacou que o diretório municipal é fundamental para a construção que o PDT pretende no Brasil. “Precisamos também nos organizar em todo o estado”. Segundo Ribeiro, será possível “eleger deputados que vão contribuir para mudar esse País”. “Temos a oportunidade de fato de construir um partido democrático trabalhista como o Brasil merece”, completou.

“É hora de enfrentarmos esse cenário de barbárie. Aceitamos os desafios do presidente [Carlos] Lupi e estamos cumprindo esse desafio.” Com esta frase, Alvaro Egea, da Direção Municipal, abriu seu discurso destacando o trabalhismo, vertente principal do partido. “Esse é o principal objetivo: construir um partido para eleger uma grande quantidade de deputados e Ciro Gomes como presidente da República. O partido está antenado com a sociedade, com os trabalhadores”, disse Egea.

Os desafios do partido em São Paulo e no Brasil ganharam destaque na Convenção Municipal. Gabriel Cassiano, presidente da Juventude Paulistana, enfatiza que a capital paulista é o espelho do Brasil. “É por isso que essa cidade é uma cidade global, por isso a cidade percebe a estratégia do capital do governo golpista que entrega o País nas mãos dos rentistas. Todos que estão aqui têm o compromisso com um partido nacional, com os interesses do povo”, conclamou.

O presidente estadual da Juventude Socialista do PDT, Ewerton Roberto, o Carreirinha, disse que o PDT “ganha uma nova cara, um novo rumo”. “Teremos vereadores na Câmara para que os professores sejam respeitados. Agora o PDT vai”, comemorou.

Enfrentamento

Os ideais do PDT estão pautados no compromisso com as bandeiras pedetistas, nacionalistas e progressistas. Esta é a visão de Lúcio Maluf, dirigente nacional e estadual, que destaca: “Precisamos que o passado levante o presente e prospecte o futuro”.

A solidariedade às minorias foi destaque na intervenção de Felipe Pinheiro. Para o presidente do PDT Diversidade, “o Diretório Municipal vem num momento muito importante”. “O PDT diversidade vem de uma semana muito boa, na qual nos consolidamos numa das maiores forças do Brasil. Somos a quarta maior bancada LGBT de todo País”, reforçou.

A pauta das mulheres tem espaço de destaque nas lutas do PDT. Segundo Josiane dos Santos Costa, a cada 15 minutos uma mulher é morta no Brasil. “Tudo o que foi construído para as mulheres foi destruído. Estamos reconstruindo. Vamos nos formatar junto, fazer um trabalho bom. Nós, mulheres da periferia, nos juntemos. A luta lá fora é muito grande. E com os homens, que são nossos parceiros e companheiros”, convocou a representante das mulheres trabalhistas do Diretório Municipal do partido.

O enfretamento também esteve presente nas palavras do secretário-geral Alessandro Rodrigues. “O PDT está sendo procurado por lideranças para fortalecer a chapa do partido, para que tenhamos uma bancada na Assembleia Legislativa e na Câmara de Vereadores”, explicou.

“Tenho certeza de que o diretório de São Paulo será muito atuante, e quando a organização da campanha é forte, nós de São Paulo somos favorecidos. Quero agradecer a acolhida do partido em relação à nossa candidatura”, saudou Junior Orosco, pré-candidato a deputado federal.

Leonel Brizola – um espelho

O espírito combativo de um dos maiores símbolos do partido também esteve presente na Convenção. Para Solange Teodoro, do Centro Darcy Ribeiro, o momento é de combate. Lutei pelas Diretas. Vejo os companheiros hoje com muita luta. É o momento de nos unirmos”, frisou.

O assassinato de Marielle Franco, vereadora do PSOL no Rio de Janeiro, foi lembrado por Ari Friedenback, da Executiva Municipal. Ele argumenta que estão destruindo as lideranças progressistas do País. “E as minorias, o movimento negro. As pessoas estão completamente intolerantes”, afirmou.

O presidente de honra do Partido Socialista Brasileiro (PSB) Municipal, Manuel Rocha Carvalheiro, prestigiou o evento e lembrou a era Vargas sobre o momento atual contra o trabalhismo vivido no Brasil. “Quero pedir a vocês: temos que dar um combate ideológico com o que está aí. E o Ciro é o melhor candidato para isso. Precisamos restabelecer a legislação trabalhista”, finalizou.

CONGRESSO SINDICAL DO PDT DE SÃO PAULO ELEGE SUA DIREÇÃO ESTADUAL

O Congresso Estadual do Movimento Sindical do PDT do estado de São Paulo
elegeu neste sábado dia 3 de fevereiro em São Paulo sua Direção Estadual, contemplando cinco companheiras mulheres, com uma Executiva de 7 membros, para um mandato de dois anos,
Executiva
Presidente: Alvaro Egea, Vestuário, Guarulhos
Vice Presidente: Valclecia Trindade, texteis, Osasco
Secretário Geral: Josinaldo Barros, Cabeça, metalurgico, Guarulhos
Secretário Adjunto: Edivaldo Santiago, condutores de onibus, São Paulo
Tesoureiro : João Batista, Jb, TI, Sao José dos Campos
Secretário de Comunicação : Denilson Bandeira, servidor publico municipal, São Paulo
Secretária de Capacitação Politica: Eliana , saneamento , São Paulo
Membros da Direçao Estadual
Sandra Bueno, TI, São Paulo
Mara Valeria, servidora publica municipal, São Vicente
Maria Santos, texteis, Guarulhos
Marcel Joaquim Simoes, metalúrgico, Osasco
José Laurindo Portela, vestuário, São José Campos
Gilson Pimentel Barreto, agente penitenciário, Bauru
Paulo Oyamada, trabalhador rural, Tupã.

“Vamos mostrar nossa cara e eleger Ciro Gomes a partir de São Paulo”, diz Lupi

Por Max Monjardim
31/01/2018

Mais de 80 pré-candidatos a deputados federal e estadual se reuniram na sede do PDT de São Paulo, na noite desta quarta-feira (31). A reunião foi comandada pelo presidente nacional do partido, Carlos Lupi.

O encontrou serviu para apresentar a nominata, ainda provisória, dos companheiros que pretendem se candidatar nas eleições de outubro. Lupi falou sobre as mudanças nas regras eleitorais, o projeto nacional do partido – que passa pela candidatura de Ciro Gomes à Presidência da República – e organização partidária.

“Temos a candidatura à presidência do nosso companheiro Ciro, que é irreversível, e vamos cobrar fidelidade partidária dos nossos candidatos”, afirmou Lupi, que também acumula a presidência estadual do partido em São Paulo.

Diversas lideranças participaram do encontro, como Dr. Hélio (ex-prefeito de Campinas), Sebastião Almeida (ex-prefeito de Guarulhos), Jorge Lapas (ex-prefeito de Osasco), além dos presidentes dos movimentos do PDT.

“Vocês terão um papel central na eleição deste ano. A organização em suas regiões será crucial. Estamos montando uma nominata com nomes muito representativos, e penso que temos que ir sem coligação com nenhum outro partido. Vamos mostrar nossa cara e eleger Ciro a partir de São Paulo”, afirmou Lupi.

Para o futuro, Lupi ainda garantiu que novos nomes se filiarão ao PDT, e com isso, as possibilidades eleitorais aumentam em muito.

“Até março ainda teremos muitas novidades”, finalizou Lupi.

Presidente Lupi e Ciro Gomes em Jundiaí

“O Brasil não pode mais tratar os seus problemas a golpe de frases feitas”, disse o pré-candidato à Presidência da República pelo PDT, Ciro Gomes, no último domingo (10), no Encontro Regional do partido em Jundiaí (SP).
Realizado na Câmara Municipal, o evento foi prestigiado pelo presidente nacional do partido, Carlos Lupi, e outras lideranças como o presidente municipal da legenda, Gérson Sartori, o vice-presidente do PDT de São Paulo, Luiz Antônio de Medeiros e Antônio Neto.

Recebido ao som de “Brasil, pra frente, Ciro presidente”, coro que o tem acompanhado por todo o País, o presidenciável começou sua fala reiterando a importância de se estabelecer um debate sério entre partidos, para, a partir de uma reflexão conjunta, se encontrar a saída para a grave crise que assola a nação.

“Como se explicar que o País tenha chegado a este ponto?”, questionou, mencionando os mais de 13 milhões de desempregados e os mais de 60 mil homicídios registrados nos últimos doze meses no País. “Isso é duas vezes e meia a quantidade de mortes que mundo inteiro testemunhou no mesmo período, nas áreas que tem convulsão social, guerra civil, como a Síria, por exemplo”.

De acordo com Ciro, a quebra da economia é a responsável pela decadência da infraestrutura, do serviço público, e o descompromisso com a do povo, claramente demonstrado pela Reforma da Previdência imposta pelo atual governo, que atinge principalmente a parcela mais vulnerável da população, como professores e trabalhadores rurais.
“Nós precisamos reformar o País. Nós, do PDT, não temos medo de reformar, porque, se nós estamos com este quadro, a institucionalidade não presta. E nós temos que colocá-la toda em debate. Mas este debate tem de ser guiado por alguns valores. É o que nos distingue; proteger o mais frágil, proteger quem produz, proteger quem trabalha e enfrentar a ladroeira, a especulação financeira”, afirmou Ciro.

Eleições 2018
Lupi destacou o posicionamento do partido quanto às pré-candidaturas de Gerson Sartori, a deputado federal, e Ciro, à Presidência, e explicou que os três pré-candidatos têm em comum a defesa da principal bandeira do PDT, a educação, o diálogo e o compromisso com as necessidades da população.

“Nada é mais importante para fazer uma sociedade evoluir do que fazê-la pensar, raciocinar. Entender qual o papel dela nesse processo”, disse Lupi, mencionando a célebre frase de Leonel Brizola: ‘Só a educação libera o povo’”.
“Esse é o desafio da democracia: liderar homens e mulheres livres. Esse é o conceito básico da existência do Trabalhismo. Foi o que Getúlio teve, foi o que João Goulart teve e Leonel Brizola teve. Eram líderes de homens e mulheres livres. E é em nome desses homens e mulheres livres, meu amigo Sartori, que nós precisamos ter o Ciro Gomes na Presidência da República”, disse Lupi.

De acordo com o presidente, não há um brasileiro que tenha o conhecimento profundo da economia como Ciro Gomes. “E não tem um político na política desse país que tem a coragem de tocar, abrir, ir no câncer da sociedade moderna que é o sistema financeiro e dizer ‘Comigo, não passa!’, finalizou Lupi fortemente aplaudido.