PDT DA CAPITAL ELEGE DIRETÓRIO

Convenção realizada na manhã deste sábado (17) elegeu a Chapa Unidade Trabalhista para consolidar e fortalecer o partido na capital paulista

 

Na manhã deste sábado (17), o Diretório Municipal do Partido Democrático Trabalhista (PDT) foi eleito na Convenção Municipal do partido. Com a presença de centenas de militantes de todo o estado de São Paulo, a Chapa Unidade Trabalhista foi aclamada por dirigentes, trabalhadores e representantes do PDT para consolidar e fortalecer o partido e levar à capital paulista os ideais do trabalhismo e de Leonel Brizola.

O presidente do Diretório Municipal, Antonio Neto, disse que a Chapa Unidade Trabalhista foi construída a partir de uma organização muito sensata. “Com muita responsabilidade e com muito orgulho, assumo o Diretório Municipal para construir o partido na cidade”, afirmou Neto. Segundo ele, é necessário organizar o PDT para dar as respostas que a sociedade precisa.

“Temos o desafio da Fundação Leonel Brizola para criar o núcleo de base e formação política, para formar dirigentes com o objetivo de fazer o enfrentamento político e ideológico”, completou o presidente Neto.

A Chapa Unidade Trabalhista é composta por 150 dirigentes, representando 40 zonas eleitorais. Já foram organizadas 10 coordenadorias regionais, que terão como meta organizar o partido na capital para consolidar 32 diretórios zonais.

As lideranças municipais e estaduais presentes ratificaram o discurso de unidade de Antonio Neto. Luiz Moura, membro da Executiva Estadual e Municipal, e candidato a deputado estadual, afirma que o desafio do partido é construir um novo PDT na capital. “Estamos chegando esse ano a 9 milhões de eleitores, maior que muitos países na América do Sul. O time tem que estar preparado. Demos o primeiro passo na Zona Leste”, declarou Moura, destacando que está disposto a “colaborar com esse novo processo de construção”, colocar-se à disposição do partido e da Executiva.

União

Luiz Antônio Medeiros, vice-presidente do Diretório Estadual, destacou os efeitos da reforma trabalhista na vida do povo. Segundo o dirigente, “é o momento em que começarmos a reagir, que as pessoas começam a se organizar”. “Nós temos o melhor candidato a presidente da República. Nós temos força. Vamos para cima com mobilização, e o PDT é nossa grande arma”, emendou Medeiros.

Na análise de Ana Paula Silva Sanches, o PDT é um partido aberto às mulheres. “Temos que chegar perto das pessoas que precisam de ajuda. Venho participar para que avanços sejam feitos para as mulheres. Estamos cada vez mais perto das pessoas que querem falar e querem ser ouvidas. Precisamos nos unir e mobilizar, ser ouvidas e nos escutar também”, enfatizou a representante da Juventude do PDT municipal de São Paulo.

O pré-candidato a deputado federal Aires Ribeiro destacou que o diretório municipal é fundamental para a construção que o PDT pretende no Brasil. “Precisamos também nos organizar em todo o estado”. Segundo Ribeiro, será possível “eleger deputados que vão contribuir para mudar esse País”. “Temos a oportunidade de fato de construir um partido democrático trabalhista como o Brasil merece”, completou.

“É hora de enfrentarmos esse cenário de barbárie. Aceitamos os desafios do presidente [Carlos] Lupi e estamos cumprindo esse desafio.” Com esta frase, Alvaro Egea, da Direção Municipal, abriu seu discurso destacando o trabalhismo, vertente principal do partido. “Esse é o principal objetivo: construir um partido para eleger uma grande quantidade de deputados e Ciro Gomes como presidente da República. O partido está antenado com a sociedade, com os trabalhadores”, disse Egea.

Os desafios do partido em São Paulo e no Brasil ganharam destaque na Convenção Municipal. Gabriel Cassiano, presidente da Juventude Paulistana, enfatiza que a capital paulista é o espelho do Brasil. “É por isso que essa cidade é uma cidade global, por isso a cidade percebe a estratégia do capital do governo golpista que entrega o País nas mãos dos rentistas. Todos que estão aqui têm o compromisso com um partido nacional, com os interesses do povo”, conclamou.

O presidente estadual da Juventude Socialista do PDT, Ewerton Roberto, o Carreirinha, disse que o PDT “ganha uma nova cara, um novo rumo”. “Teremos vereadores na Câmara para que os professores sejam respeitados. Agora o PDT vai”, comemorou.

Enfrentamento

Os ideais do PDT estão pautados no compromisso com as bandeiras pedetistas, nacionalistas e progressistas. Esta é a visão de Lúcio Maluf, dirigente nacional e estadual, que destaca: “Precisamos que o passado levante o presente e prospecte o futuro”.

A solidariedade às minorias foi destaque na intervenção de Felipe Pinheiro. Para o presidente do PDT Diversidade, “o Diretório Municipal vem num momento muito importante”. “O PDT diversidade vem de uma semana muito boa, na qual nos consolidamos numa das maiores forças do Brasil. Somos a quarta maior bancada LGBT de todo País”, reforçou.

A pauta das mulheres tem espaço de destaque nas lutas do PDT. Segundo Josiane dos Santos Costa, a cada 15 minutos uma mulher é morta no Brasil. “Tudo o que foi construído para as mulheres foi destruído. Estamos reconstruindo. Vamos nos formatar junto, fazer um trabalho bom. Nós, mulheres da periferia, nos juntemos. A luta lá fora é muito grande. E com os homens, que são nossos parceiros e companheiros”, convocou a representante das mulheres trabalhistas do Diretório Municipal do partido.

O enfretamento também esteve presente nas palavras do secretário-geral Alessandro Rodrigues. “O PDT está sendo procurado por lideranças para fortalecer a chapa do partido, para que tenhamos uma bancada na Assembleia Legislativa e na Câmara de Vereadores”, explicou.

“Tenho certeza de que o diretório de São Paulo será muito atuante, e quando a organização da campanha é forte, nós de São Paulo somos favorecidos. Quero agradecer a acolhida do partido em relação à nossa candidatura”, saudou Junior Orosco, pré-candidato a deputado federal.

Leonel Brizola – um espelho

O espírito combativo de um dos maiores símbolos do partido também esteve presente na Convenção. Para Solange Teodoro, do Centro Darcy Ribeiro, o momento é de combate. Lutei pelas Diretas. Vejo os companheiros hoje com muita luta. É o momento de nos unirmos”, frisou.

O assassinato de Marielle Franco, vereadora do PSOL no Rio de Janeiro, foi lembrado por Ari Friedenback, da Executiva Municipal. Ele argumenta que estão destruindo as lideranças progressistas do País. “E as minorias, o movimento negro. As pessoas estão completamente intolerantes”, afirmou.

O presidente de honra do Partido Socialista Brasileiro (PSB) Municipal, Manuel Rocha Carvalheiro, prestigiou o evento e lembrou a era Vargas sobre o momento atual contra o trabalhismo vivido no Brasil. “Quero pedir a vocês: temos que dar um combate ideológico com o que está aí. E o Ciro é o melhor candidato para isso. Precisamos restabelecer a legislação trabalhista”, finalizou.